Detentos paulistas vão produzir máscaras de segurança contra coronavírus, diz Doria

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta terça-feira (24) que os presos do sistema prisional paulista produzirão 320 mil máscaras de proteção e que a delegacia eletrônica registrará também crimes como roubos e estelionato.

“Serão 26 mil peças por dia nas fábricas adaptadas do sistema prisional, que terão o custo para o governo de São Paulo de R$ 0,80 por peça”, disse.

O tucano também anunciou que a delegacia eletrônica registrará pela internet crimes como ameaças, estelionato, roubo ou furto, crimes contra o consumidor.

A exceção são crimes como homicídio, latrocínios, estupros e violência doméstica.

No início da entrevista coletiva, Doria mostrou exame que fez para coronavírus, que deu resultado negativo. O exame foi feito no Hospital Albert Einstein e uma contraprova será feita pelo Instituto Adolpho Lutz.

A medida mais uma vez coloca Doria em oposição ao presidente Jair Bolsonaro, que vem se recusando a mostrar o teste, que, segundo ele, deu negativo.

Mix Vale / Imagem: Reprodução