CPI da Covid: confrontado por senadores, Witzel comunica à comissão o desejo de se retirar, e sessão é encerrada

Por - 16/06/2021
Witzel-depoe-na-CPI-da-Covid ARARIPINA EM FOCO

Com base no habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal, o ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel pediu para sair da sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito nesta quarta-feira. Após o pedido, o presidente da CPI, Omar Aziz, suspendeu os trabalhos do dia. Os senadores ouviam Witzel como parte do processo de análise da condução da pandemia da Covid-19 no Brasil.

O ex-governador do Rio de Janeiro também usou o seu depoimento da CPI da Covid, nesta quarta-feira, como palco para se defender das acusações que o levaram a sofrer impeachment e atacar o presidente Jair Bolsonaro, a quem responsabilizou pelas mortes na pandemia.

O ex-governador alegou ser vítima de “perseguição política” — o que, segundo ele, teria começado após a prisão dos assassinos da vereadora Marielle Franco. Witzel afirmou também que teve “praticamente zero” cooperação do Ministério da Saúde para o combate à pandemia da Covid-19 e que o” presidente deixou os governadores à mercê da desgraça que viria”.