MAYRA PINHEIRO ARARIPINA EM FOCO


Ontem (25) a secretária do ministério da saúde Mayra Pinheiro depôs na CPI da Covid, durante o seu depoimento foi constatado 11 contradições com o depoimento do ex-ministro da saúde general Pazuello. Conhecida como Capitã Cloroquina, Dr. Mayra Pinheiro é a secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde. Chegou ao Senado para depor na CPI da Pandemia com um habeas-corpus, salvaguarda expedida pelo Supremo Tribunal Federal para decidir se fazia ou não declarações que pudessem incriminá-la quanto à sua participação na crise da falta de oxigênio nos hospitais de Manaus e na receita de cloroquina como tratamento precoce da Covid. Entretanto, não deixou de responder a nenhuma das perguntas que lhe foram feitas.

Dra. Mayra Pinheiro negou que Jair Bolsonaro tenha lhe recomendado o uso do medicamento cloroquina para o tratamento da Covid enquanto esteve em Manaus, no início do ano. O relator da Comissão, senador Renan Calheiros, entretanto, afirmou ao fim da sessão, que colheu onze inverdades e contradições em seu depoimento. Uma delas é o choque de datas em que o general Eduardo Pazuello declarou na CPI ter tomado conhecimento da falta de oxigênio na rede hospitalar da capital amazonense que culminou com a morte de dezenas de pessoas em janeiro passado. Ele disse dia 10 de janeiro. Ela, dia 8.