Consumidor pode pedir bloqueio de celular roubado informando número da linha

09/03/2016 14h31

Ficou mais fácil bloquear celulares roubados, extraviados ou perdidos,
bastando apenas ao usuário informar o número da linha para a operadora. Antes,
era necessário anunciar os cerca de 15 números que compõem o identificador chamado
Imei – espécie de chassi dos aparelhos, que pode ser visualizado ao se digitar
*#06#. Ele também pode ser localizado na parte traseira do aparelho, em geral
perto da bateria, caso o celular esteja descarregado.
De acordo com a Agência
Nacional de Telecomunicações (Anatel), o bloqueio pode ser feito junto às
operadoras e, também, na Polícia Civil da Bahia, Ceará e Espírito Santo, onde
já há acesso ao sistema. Em breve, o mesmo poderá ser feito nas delegacias de
Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo, bem como por meio da Polícia
Federal.
Basta ao usuário fazer uma
ocorrência nas delegacias para, automaticamente, o celular ser incluído em uma
lista que contém aparelhos roubados, extraviados ou perdidos tanto em
território nacional como em 44 outros países. No caso de aparelhos com dois
chips, o ideal é informar o número das linhas às duas operadoras.
Fechando
o cerco

“Estamos adotando duas
formas de combate a roubos e furtos. A primeira, bastando apresentar às
operadoras ou delegacias o número do celular, em vez dos 15 números do
identificador, para bloqueá-lo. A segunda, ao obrigarmos que transportadores e
lojistas incluam, na nota fiscal, esse identificador. Isso possibilitará a
identificação dos aparelhos em caso de roubo de cargas ou em lojas varejistas”,
disse o presidente da Anatel, João Rezende, ao anunciar as medidas hoje em
Brasília.
A fim de evitar que as
pessoas adquiram celulares roubados, foi disponibilizada, na internet, uma
página  na qual é possível saber se os
identificadores Imei estão bloqueados. A consulta pode ser feita pelo site
www.consultaaparelhoimpedido.com.br.
“Para saber o número de
identificador, basta digitar *#06# no próprio aparelho celular”, informou
Rezende. Segundo o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel,
Alexandre Bicalho, “o roubo de celulares já estava virando uma indústria no
país”, inclusive, com a comercialização de aparelhos roubados no exterior.
“Por isso, a consulta
[sobre aparelhos bloqueados] terá também uma base internacional com mais de 30
milhões de registros de celulares roubados em 44 países”, disse o
superintendente da Anatel.

Nos casos em que a pessoa
perdeu e, depois, encontrou o aparelho, será possível fazer o desbloqueio junto
à operadora. Já os aparelhos roubados que tenham sido localizados pela polícia
poderão ser devolvidos ao proprietário original. “Para isso, basta a boa
vontade do policial ou de quem [na consulta] descobrir que o celular está
bloqueado”, finalizou Bicalho. (JC online)

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro