Quem mora no bairro Alto da Boa Vista em Araripina, sente que uma grande parte da população que reside nos arredores da única praça da comunidade, não está tendo consciência no que diz respeito a destinação final do seu lixo doméstico. Apesar do carro coletor passar regularmente de acordo com o cronograma especificado, alguns comunitários ainda insistem em entupir aquele ambiente de lixo.

Foto de 2013 mostra que no local onde foi construído a praça havia apenas pés de algaroba, bem ao fundo da imagem.

Não cabendo mais nos tambores, os lixos são colocados na calçada da praça, pela qual, chega a se espalhar pela ação dos cachorros que procuram algum alimento em meio a sujeira. Como se não bastasse essa situação constrangedora, ainda tem moradores que colocam entulhos em meio ao lixo, como por exemplo restos de árvores e de material de construção. Uma realidade que não se via antes da construção do equipamento púbico.

Pensando nisto, procuramos dar três dicas importantes para que se evite o acúmulo de lixo naquela praça, visto que, estamos em um momento de pandemia. Primeiro, procure colocar as sacolas de lixo na calçada de sua casa, pois foi você quem produziu. Segundo, coloque uma lixeira daquelas próprias para calçadas, geralmente de aço ou metal, pois elas evitam que animais rasguem as sacolas. Terceiro, procure ficar atento aos dias em que o carro coletor irá passar na rua em que você mora, e só coloque o lixo para fora quando for de fato o dia em que será recolhido.

Melhorando os hábitos de higiene comunitária naquela praça, com certeza haverá benefícios para todos, principalmente na área da saúde, pois há crianças que brincam ali. Lembre-se que o acúmulo e espalhamento do lixo naquela rua pode resultar no entupimento da rede de esgoto. Então não adianta nesse caso reclamar quando vê-lo escorrendo na porta de casa. Vamos todos juntos zelar pelo bem comum. Por tanto pedimos aos moradores do entorno que se conscientizem com a destinação do seu lixo, saiba que ele não some apenas quando sai da sua casa e vai à praça, há um ciclo que ele precisa percorrer para que o meio ambiente e a população em geral não sejam prejudicados.

Redação AF News / Imagem: Reprodução