COMPANHIA DE DANÇA E TEATRO TRAQUEJO APRESENTA OLHOS DE RESSACA MAIS UM VEZ

Por - 16/01/2016
A companhia Traquejo é um
conjunto de arte da cidade de Exu-PE, criado desde 2010, na qual busca
expressar cultura e arte através da dança e do teatro. Por vez integrada à
dramatização. Um trabalho sério com um compromisso social, que oportuniza a
juventude exuense – em parte ociosa – o contato com a arte e compromisso de
propagar e perpetuar os talentos e a riqueza da arte local. Os espetáculos são
resultados sempre de muita pesquisa. Inicialmente intitulado como “Dança,
Teatro, Criação e Contemporaneidades – Em Processo!”, o trabalho ganha
novas configurações a cada temporada e, por conta disso, traz também uma nova
cara. O Traquejo vem buscando sempre uma forma de inovação, procurando mudar
cor e brilho, multiplica gestos, imagens propagando a dança de forma expressiva
e consistente em seus espetáculos, transformando o pensamento e a arte ao longo
dos anos, investindo em novos caminhos, novas possibilidades de pesquisa e
criação, aprimorando constantemente a qualidade de suas produções. A Companhia
vem realizando trabalhos de dança e teatro, iniciando a introdução de música ao
vivo nos seus trabalhos com os novos integrantes. Passa pelas cidades dos
estados de Pernambuco, Ceará, Piauí e Paraíba. Premiada em diversos festivais,
e participando de diversas conferências de Dança, Teatro e Arte. Os espetáculos
contam com a Direção e Coreografias de Lucas Bento. A companhia conta com 25
integrantes, entre eles bailarinos, atores, músicos e produção técnica.
OLHOS DE RESSACA – O
espetáculo é uma releitura da obra literária Dom Casmurro do escritor
brasileiro Machado de Assis. Em um trabalho artístico desenvolvido pela Cia
Traquejo que envolve as linguagens de dança e teatro, coloca Capitu em
destaque, em que evidencia a figura feminina de uma mulher à frente da sua
época, tratando das sensações que olhar dela causava em Bento. A partir disso o
espetáculo questiona o tempo inteiro o poder dos olhos. Até onde o olhar de
alguém pode chegar em nós. O espetáculo viaja na época em que foi escrito, até
a algo bem próximo aos novos tempos. Mantendo a cordialidade das palavras de
Machado, com interferência de textos criados pelos atores. A estreia do
espetáculo ocorreu numa fábrica de cerâmica da cidade. Como a história ocorre
na espoca da escravatura, a fábrica se se tornaria uma casa de engenho diante
as pessoas. O espetáculo é adaptável para palcos de teatro e arenas, pois a
Traquejo trabalha com ocupação do espaço, em algumas horas antes, todos os
presentes no espetáculo ensaiam, fazem o reconhecimento do espaço e quais todas
as suas disponibilidades, para fazer com o público presente sinta-se como parte
do espetáculo. Todos os integrantes da Companhia estão presentes no espetáculo,
atores, dançarinos, músicos e a equipe da produção técnica. 
Ficha técnica: Direção:
Lucas Bento Coreografia: Lucas Bento Sonoplastia: Luciano Viana Percursionista:
Fabrício Tavares Iluminação: Barbara Raniele Maquiagem: Equipe de Criação da
Companhia de Teatro e Dança Traquejo Cenário: Equipe de Criação da Companhia de
Teatro e Dança Traquejo Figurino: Equipe de Criação da Companhia de Teatro e
Dança Traquejo Capoeiristas: Daniel Alves e Genario Lopes. Bailarinos: Ana
Cristina, Edson Rodrigues, Joseane Nogueira, Lucas Bento, Maria Denes, Moniele
Alves, Myrlley Mayara, Nayara Xavier, Rayane Oliveira. Atores: Cosmo Martins,
Lucas Bento, Joseane Nogueira, Nayara Xavier, Willian Lima. Produção Técnica:
Eliana Amorim, Iago Sales, Rodrigo Silva.
Fonte Exu Notícias