Com fim do lockdown, Ceará anuncia plano de retomada das atividades econômicas

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), apresentou no último dia (28/05), em suas redes sociais, detalhes sobre o Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais que será colocado em prática a partir de segunda-feira, 1º de junho.

O processo prevê uma fase inicial de transição, em que estão contemplados 17 setores, e mais quatro fases de abertura que, de acordo com Santana, irão obedecer a critérios técnicos, sanitários e epidemiológicos. O governador também informou  que o plano foi elaborado com participação do poder executivo, do setor produtivo e da sociedade civil.

Retorno das atividades

O Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce) que integra o Fórum em Defesa da Vida, articulação de movimentos populares que apresentaram um conjunto de demandas ao Governo do Estado, acredita que o retorno das atividades econômicas anunciadas pelo Governo do Ceará, nesse exato momento, na proporção que é colocado, ainda é muito temerário e muito perigoso, porque se houve algum relaxamento no número de ocupação dos leitos, por exemplo, ou se houve uma desaceleração como a Secretaria Estadual de Saúde tem colocado em relação ao coronavírus, isso foi por conta do isolamento social mais firme, o lockdown, que foi instalado na cidade de Fortaleza.

O presidente do Sindjorce, Rafael Mesquita, explica que as escolhas do governo em relação a quais atividades devem ser retomadas nesse momento também são temerárias. Ele cita salões de beleza e barbearia, igrejas e templos, academia, clubes, show e espetáculos – posteriormente shoppings, cinemas e treinos de futebol. “Me parece que as escolhas do ponto de vista operacional são as piores possíveis. Qual a justificativa para se abrir uma academia a partir de 20 de junho, como foi colocado? Qual a justificativa para abrir academias, clubes, shows e espetáculos que aglomeram, de fato, pessoas?”.

“A gente tem observado, inclusive em alguns estados brasileiros, que a tentativa de retomar a atividade econômica, de alguma forma, surtiu um efeito contrário, que foi por exemplo em Santa Catarina. A reabertura do comércio por lá fez os casos de coronavírus triplicar em três semanas”, completa.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Ceará também se mostrou preocupada com o plano apresentado e informou que irá participar da reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Coronavírus nesta sexta-feira (29). De acordo com a assessoria de comunicação da CUT, a reunião, que também contará com outras entidades, discutirá a reabertura setor por setor, respeitando a proteção da saúde e dos direitos dos trabalhadores.

Plano de Reabertura

A primeira etapa anunciada para a reabertura, que começa na próxima segunda-feira (1º), é de transição e irá possibilitar a operação de 100% da área de saúde, incluindo consultórios médicos e odontológicos; 31% da cadeia da construção civil, com até 100 operários por obra e; 30% de efetivo no setor produtivo.

Além dessas áreas, a etapa também contará com o retorno de percentuais de outros setores, como indústria química e correlatos; artigos de couros e calçados; indústria metalmecânica e afins; saneamento e reciclagem; indústria e serviços de apoio; energia; têxteis e roupas; comunicação, publicidade e editoração; artigos do lar; agropecuária; móveis e madeira; tecnologia da informação; logística e transporte; automotiva; e esporte, cultura e lazer.

A transição levará sete dias, após esse período está programado quatro fases de retomada. A primeira fase está prevista para ter início no dia 8 de junho e deverá durar quatorze dias. As fases seguintes só serão implantadas de acordo com as avaliações das fases anteriores. Durante o pronunciamento, Camilo Santana disse para que o plano possa funcionar, é fundamental haver o respeito aos decretos.

Isolamento Social

Mesmo com a abertura do Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais, o isolamento social ainda está mantido no estado. O decreto que torna esse isolamento mais rígido se encerrará no dia 31 de maio. A ideia é que a partir do dia 1º de junho o isolamento volte a ser mais moderado, como foi no início da quarentena no estado.

Curva de casos no Ceará

Um grupo de professores da PUC-Rio criou a plataforma Covid-19 Analytics, um modelo de previsão do número de caos e óbitos por covid-19, com o objetivo de ofertar uma ferramenta de apoio no gerenciamento da crise na saúde.


Em nota, o Covid-19 Analytics informou que o estado do Ceará está com baixa taxa de reprodução do coronavírus. De acordo com a nota, no dia 22 de maio, o Ceará registrou 3.100 novos caso, enquanto que no dia 26 foram 836, chegando a 254 novos casos no dia 27. O texto explica que é comum os registros de novos casos terem atraso em muitos estados, fazendo com que alguns dias tenham números muito elevados e outros números muito baixos, mas que é importante ver se a tendência se mantêm por uma ou duas semanas.

Segundo dados divulgados pela plataforma, a taxa de reprodução da doença no Ceará vem apresentando valores inferiores à 1 desde o dia 24 de maio. Atualmente essa taxa se encontra na casa dos 0,66.
 

Fonte: BdF Ceará