Coluna do Everaldo Paixão – Pré-candidatos a vereador podem abandonar o barco de Aluízio Coelho

Por - 14/05/2016
Sobre um adesivo que
estava afixado no carro do pré-candidato Idelfonso Dumel (círculo na imagem
acima) “O novo vem aí!”, alguém o abordou sobre como ia ficar agora o discurso
que ali estava configurado. Dumel disse que ficou sem respostas e algo que não
tem mais explicação e nem o que dizer.
Nos grupos, nas redes
sociais, o tema “o novo vem aí” viralizou e transformou-se em chacota política.
O fato narrado em verdade,
tem tudo a ver com a possível migração do atual vereador Tico de Roberto (PRB)
numa aliança com o pré-candidato a prefeito Aluízio Coelho (PP), o que pode
ainda ser provas do apoio do ex-prefeito e empresário Valdeir Batista, do qual
Roberto é muito ligado e também correligionário.
Para alguns pré-candidatos
que até hoje seguem Coelho, Tico está usando de esperteza porque vem
demonstrando claramente a aproximação política com o também pré-candidato Tião
do Gesso (SD), e que um dos seus filhos filiou-se ao partido Solodariedade,
sendo o vereador detentor de uma secretaria de Agricultura Municipal, e a vinda
dele para o palanque progressista, é apenas para transformar os outros em
escada para ele subir.
Em reunião com o médico
Aluízio Coelho os pré-candidatos que hoje o apoiam, definiu como
“indesejada” e “inviável” a chegada de Tico de Roberto, já que a
permanência de boa parte do grupo com esse novo acontecimento é insustentável.
As informações esclarecidas dizem que Roberto tentou passar por vítima em não
encontrar respaldo da maioria do grupo.
Mesmo assim, foi dada uma
chance ao vereador Tico de Roberto, uma espécie de ultimato, para que ele fosse
a um veículo de comunicação e declarasse rompimento com a atual gestão e
firmasse total apoio à pré-candidatura de Aluízio Coelho, que aí sim, os
pré-candidatos da base de apoio a Coelho, fariam um sacrifício e o aceitaria
para comungar da coligação.
O prazo seria até o dia
10. Nesse caso, expirou.
Para Dumel, o prazo para a
decisão de Coelho com relação ao imbróglio ficou definido para a terça-feira
(11), e se caso ele não se decidisse em tomar uma decisão favorável à
coligação, ele estaria fora e acredita que outros pré-candidatos seguiriam o
mesmo destino.
– Posso até votar em Aluízio,
mas não serei mais candidato, desabafou Dumel.
Para Dumel se a decisão
for tomada para que Tico de Roberto fique na coligação, alguns decidam
permanecer, mas desestimulados.
Dumel ainda enfatiza que
aqueles que tentam apagar fogo e se acham os grandes articuladores da política
local, precisam respeitar além do mais, a opinião de um grupo que se formou
para defender uma ideia de “novo”, mas que já começa a moldar-se como uma
feição de velho.
Para muitos, Tico de
Roberto ainda pretende garantir com segurança uma Secretaria e tenta se
equilibrar em uma espécie de Ponte que separa dois estados, um pé lá e outro
cá, e depois tomar a decisão de aportar no grupo de Aluízio. Para Dumel é uma
afronte àqueles que estiverem desde o começo viabilizando o nome de Coelho como
pré-candidato a prefeito.
Dumel ainda acrescentou
que o outro pré-candidato Irmão Alencar, pode ser mais um a seguir a mesma
ideia de não ficar em um grupo apenas para servir de cauda, a não ser com a
proposta aventada de Tico se afastar do outro grupo político.

Mais um capítulo da Novela
Política de Araripina recebida pelo nosso por este Blogeiro.