Cientistas usam vírus da Aids para curar crianças “da bolha”

A kid in a bubble as a symbolic representation of autism.

Uma das doenças mais complicadas do mundo, a imunodeficiência combinada grave, conhecida como a doença da bolha, ganhou um tratamento inusitado: com o vírus da AIDS atenuado. As crianças com a condição não possuem ou têm pouca resposta imunológica e, por isso, correm risco de vida fora de ambientes completamente esterilizados – daí o apelido “bolha”, um espaço de plástico controlado onde eles vivem. Quando não tratada, a síndrome é fatal nos primeiros meses de vida.

Uma nova esperança é o uso do vírus HIV atenuado, usado como vetor para entrar nas células (como faz na Aids) e alterar o código genético, inserindo um gene para resolver o problema. Até então, os tratamentos recomendados era transplante de medula óssea ou sessões de quimioterapia, duas abordagens perigosas para um organismo que não consegue se defender.

“Esses pacientes estão respondendo à vacinação e têm sistema imunológico capaz de produzir todas as células imunológicas que eles precisam para se protegerem contra infecções enquanto exploram o mundo e levam vidas normais “, diz Ewelina Mamcarz, autora do estudo, em comunicado divulgado pelo hospital St. Jude Children’s Hospital, nos Estados Unidos.

AF Newss/Metrópoles/Foto:Reprodução