Centenário do ex-prefeito Sebastião Batista Modesto (Sebasto)

29/02/2016 14h52
No último dia 28 de fevereiro, se estivesse vivo o ex-prefeito de Araripina, “Sebasto” Sebastião Batista
Modesto completaria 100 anos de idade.
A data é praticamente
esquecida entre os araripinenses atuais da nova Araripina, mas entre os
familiares e amigos que tiveram o prazer de conviver e poder acompanhar a trajetória de vida desse grande homem, que foi um marco na história de Araripina, nunca
irão esquecer da memória de Sebasto Batista, tido como o prefeito a frente do
seu tempo.
Conheça
um pouco da história política de Sebasto.

Eleições
de 18 de agosto de 1963.

Nas eleições de 1963, Seu
Né decidiu dar o seu apoio a José Arnaud Campos, de origem udenista, do Partido
Social Trabalhista – PST, que se coligara com o PSD. José Gualter Alencar , também
de raízes udenistas, parente ainda do governador Miguel Arraes, obstinou-se em
ser candidato a prefeito. Alegava ter apoio e a preferência do governador. Terminou
por vencer a resistência de Seu Né e saiu candidato. Do outro lado, uma
coligação de udenistas, pessedistas e petebistas abrigados na sigla do PTB, que
lançou a candidatura de Sebastião
Batista Modesto, Sebasto
, para prefeito e de João Lyra de Carvalho, genro
de Joaquim Modesto, para vice-prefeito.
A família Pereira Lima,
comandada por Quinca e Pe. Gonçalo, de grande peso eleitoral, não se decidiu de
logo a quem dar o apoio político. Buscava o sustentáculo para a candidatura de
Quinca á Assembleia Legislativa. De última hora, veio à tona um acordo com
Dionísio de Deus Lima, para apoiar Quinca, pela coligação local. Esse acordo
pegou Seu Né de surpresa, pois fora celebrado debaixo de sete capas. Seu Né
amargou pela primeira vez, na sua longa e bem sucedida carreira política, uma
derrota. Não veio o apoio do governador ao seu parente e Sebasto ganhou
folgadamente o seu primeiro mandato de prefeito de Araripina.
Os prefeitos que
precederam Sebasto eram homens de negócios
prósperos comerciantes, Seu Né, Seu Gonzaga e Quinca Livino. Suas atividades
privadas absorviam a maior parte de seu tempo, sobrando pouco para a
Prefeitura. A custo de grandes sacrifícios e de prejuízos financeiros, puderam
concluir a administração municipal com a de seus negócios privados. Homens de
recursos entendiam que a atividade política os obrigava a atender as
necessidades pessoais dos eleitores, remédios, roupa, sapatos, passagens,
socorro médico, hospitalar, etc. isso implicava despesas que saiam de seu
próprio bolso, porque a Prefeitura não dispunha de recursos especiais e nem de assistência
social.
Sebasto, funcionário público
federal, solteiro, pôde dar tempo integral à Prefeitura. Contava com o apoio da
Câmara Municipal e teve condições de fazer uma administração que serviu de “dermarrage”
do progresso e do desenvolvimento de Araripina. Implantou uma infraestrutura
administrativa e urbanística que lhe permitiu realizar a melhor administração
que Araripina já teve até então. Construiu dezenas de prédios escolares,
implantou o serviço e telefonia na cidade, deixando um acervo de obras, pelo
que mereceu a outorga de honraria pela União Municipalista do Nordeste. Adiante,
o acervo de suas realizações á frente da Prefeitura de Araripina, em dois períodos
de administração.
O golpe militar de 1964 não
atingiu a administração de Sebasto. A Legislação revolucionaria prorrogou o
mandato dos prefeitos, para estabelecer a coincidência das eleições municipais,
que se realizariam em 15 de novembro de 1968.

Sebastião
Batista Modesto

Nasceu em Araripina, Filho
de Manuel Alves Batista e Maria Modesto Sobrinha. Fez seus estudos primários na
cidade natal e se tornou um autodidata. Pelo n° 12, de 02 de setembro de 1946,
do então prefeito Dr. José Araújo Lima,
é nomeado Agente Estatístico, cargo que desempenhou com competência, passando posteriormente
para o serviço público federal. Exerceu por duas vezes o mandato de prefeito,
1963 a 1968 e 1973 a 1977. Em razão de sua administração à frente da prefeitura
de Araripina, foi agraciado com as seguintes honrarias: Medalha de Honra do
Mérito – 1966, pela União Municipalista do Nordeste; pelo mesmo órgão, Diploma –
de Honra ao Mérito, pelo Jornal Tribuna do Interior, de São Paulo, sendo ainda
classificado como um dos Dez Melhores Prefeitos, nos anos de 1974 e 1975;
Diploma de Honra ao Mérito Rotary Internacional, João Pessoa-PB, 1975. Participou,
com destacada atuação do Seminário sobre a Bacia do São Francisco, realizado em
Juazeiro-BA, em 1975.
Confira
o acervo de realizações do saudoso Sebastião Batista
Modesto ex-prefeito de
Araripina.

É o seguinte acervo de
realizações nos dois períodos de administração: Construção de prédio escolar,
com salas, carteiras, quadro e birô, no sítio Zé Martins, no sítio Iracema, no
sítio Santana, sítio Santa Rosa, Sítio Jatobá, Serra do Caruá, Serra
Marinheiro, Serra do Simões, Sítio Cansanção, Sítio Santa Luzia, sítio Lagoa de
Dentro, sítio Pajeú, na Feira Nova do Cajueiro, na Vila de Rancharia, no sítio
Ladeira Alta, sítio Sangradouro, sítio Ramalhete, sítio Geraldo, sítio
Flamengo, sítio Buenos Aires, sítio Buracão, sítio Soares, sítio Baixio dos
Cordeiros, sítio Alto Alegre, sítio Triunfo, sítio Deserto, sítio Cachoeira, no
Povoado de Gergelim, vila de Nascente, sítio Água Fria, sítio Solidão; construção
açougue na vila de Lagoa do Barro, construção de açougue e mercado na vila do
Morais e nos povoados de Rancharia e Gergelim; construção do campo pouso, construção
do prédio da Telefonia de Araripina; construção de Cisternas no sítio Baixio
dos Cordeiros e no povoado de  Gergelim e
mais dez pequenas cisternas em diversas escolas públicas municipais, construção
d três banheiros públicos na sede do Município; aquisição de terrenos para
construção do escritório da CELPE, da sede do Projeto Sertanejo, do novo Posto
de Saúde de Araripina, da torre de Televisão, do campo de futebol, do Centro de
Educação Rural Luiz Gonzaga Duarte, da praça do Hospital e Maternidade Santa
Maria, da primeira fabrica de calcinação de Gesso, do prédio da prefeitura; fez
a arborização na sede do Município, nas vilas de Nascente e Lagoa do Barro e
nos povoados de Gergelim e Rancharia; nessas mesmas localidades implantou o
curso ginásio e o serviço de iluminação pública e domiciliar. Implantou um
sistema moderno de contabilidade na prefeitura, a cargo de pessoal técnico. Junto
às autoridades federais, conseguiu trazer para Araripina a agência do Banco do
Brasil, construiu o açude do Baixio e em convênio com os prefeitos de Ouricuri
e Trindade, construiu o açude público de Lagoa do Barro, para o abastecimento d’água
dos três municípios; com a ajuda do governo estadual, equipou a Casa de Saúde
São José com material cirúrgico, raio-X e aquisição de ônibus ambulatório junto
ao FUNRURAL; instalou o Centro Social Urbano de Araripina; criou a faculdade de
Formação de Professores de Araripina; criou os cursos profissionalizantes
(corte e costura, datilografia, bordado á mão e á maquina de arteculinária) em
Araripina; instalou postos do Correios nas vilas de Morais, Nascente, Lagoa do
Barro e nos povoados de Gergelim, Rancharia e Serrânia; construiu açudes nos
sítios Lagoa dos Gregórios e Lagoa de Nonato Pereira; instalou o FUNRURAL em
Araripina; reconstruiu e ampliou os açudes públicos de Nascente, Lagoa da
Campina, Gergelim, do Sauhém e de Siapaúba; construiu cercas de estacas de
madeiras e de arames farpados, para a proteção da Chapada do Araripe; criou o
primeiro restaurante de alimentação escolar na sede do Município; comemorou,
pela primeira vez a festa de emancipação política do Município; realizou a 1ª e
2ª . exposição Agropecuária no Município; atualizou o débito da Prefeitura para
com o INSS.  
Biografia Política redigida do livro – Araripina História  Fatos e Reminicências. 
Francisco Muniz Arraes
Redação e preparação da matéria Damião Sousa | Araripina em Foco
Prestamos essa homenagem a esse grande homem, que contribuiu na história de Araripina, pois assim como ele acreditou na boa política, esse meio de comunicação também acredita. 

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro