InícioAraripina em FocoÁudio de Lula : 'Estou assustado é com a República de Curitiba'

Áudio de Lula : ‘Estou assustado é com a República de Curitiba’

No dia em que o
ex-presidente Lula foi conduzido coercitivamente pela Operação Aletheia para
depor em uma sala no Aeroporto de Congonhas, a presidente Dilma Rousseff
telefonou para seu antecessor – Lula já estava na sede do PT, onde declarou à
imprensa que a jararaca está viva. Lula estava no grampo, com autorização do
juiz federal Sérgio Moro, líder da Operação Lava Jato. Dilma não é alvo da
investigação, mas caiu na interceptação ao ligar do Palácio do Planalto para
seu antecessor.
Na conversa com Dilma, o
ex-presidente atacou os investigadores, o juiz federal Sérgio Moro, os
tribunais superiores e a imprensa. Ele comenta, indignado, o fato de ter sido
ouvido por quase três horas pela Polícia Federal sobre as atividades do
Instituto Lula e de sua empresa, a LILS Palestras e Eventos “Se os
canalhas tivessem mandado um ofício teria ido prestar depoimento. Eu já fui
três vezes a Brasília prestar depoimento. Eu acho que o Moro quis fazer um
espetáculo antes daquele negócio que tá pra decidir, que tá no Supremo pra
decidir, mas ele precisava fazer o espetáculo de pirotecnia.”
Lula reclama que a Polícia
Federal fez buscas na residência de seus filhos e de quadros antigos do PT –
Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, e Clara Ant, sua assessora.
Dilma pergunta a Lula se
ele não achou estranho a publicação da Revista IstoÉ, na quinta-feira, 3, um
dia antes da Aletheia, antecipando a delação do senador Delcídio Amaral,
ex-líder do governo. “O Sr. não achou estranho?”, perguntou a
presidente.
“É um espetáculo de
pirotecnia sem precedentes, querida. É o seguinte: eles estão convencidos de
que com a imprensa chefiando o processo investigatório eles conseguem refundar
a República. Nós temos uma Suprema Corte totalmente acovardada, um Superior Tribunal
de Justiça totalmente acovardado, um Parlamento totalmente acovardado, somente
nos últimos tempos o PT e o PCdoB começaram a acordar, um presidente da Câmara
fudido, um presidente do Senado fudido, não sei quantos parlamentares ameaçados
e fica todo mundo no compasso achando que vai acontecer um milagre.”
Lula ataca a força-tarefa
da Operação Lava Jato. “Eu estou, sinceramente, estou assustado é com a
república de Curitiba, porque a partir de um juiz de primeira instância tudo
pode acontecer neste País, tudo pode acontecer.”
Depois, o ex-presidente
revela a Dilma sua estratégia. “Eu tô dizendo aqui pro PT que não tem mais
trégua, que não tem que ficar acreditando na luta jurídica, ou seja, nós temos
que aproveitar a nossa militância e ir pra rua. Eu vou antecipar minha campanha
pra 2018, vou acertar de viajar esse país a partir da semana que vem e quero
ver o que vai acontecer. Lamentavelmente vai ser isso. Eu não vou ficar em casa
parado.”
O ex-presidente relatou a
Dilma que a PF fez buscas também na residência de seus filhos e que os
investigadores o questionaram sobre temas que já teriam abordado em outras
audiências. “As perguntas são as mesmas que já respondi a dois delegados
da Polícia Federal. Dos meus filhos eles levaram os mesmos documentos. Foram na
casa da Clara Ant, dormindo sozinha quando entrou cinco homens gigantes. Ela
pensou que era um presente de Deus e era a Polícia Federal.”
(Dilma
cai na gargalhada)
“Então é isso ó Dilma, eu acho que foi um espetáculo de pirotecnia. A tese deles é de que tudo
que está acontecendo foi uma quadrilha montada em 2003 (ano de seu primeiro
mandato) e, portanto, ela perdura até hoje, sabe, e dentro do Palácio, até de
dentro do Palácio. Então, eles não precisam de explicação, com a teoria do
domínio do fato não precisa de explicação. Eles
colocam em prática.”

l Parana Online l

RELACIONADOS