Dezesseis pássaros silvestres da fauna nativa foram libertados em um Operação Policial realizada por agentes da 9ª CIPM na tarde desta sexta-feira 26 de fevereiro em Araripina, Sertão de Pernambuco. Através de denúncia, o efetivo conseguiu localizar um suspeito responsável pelas aves que estavam em gaiolas.

Com informações da equipe Malhas da Lei, foi possível confirmar a noticia crime, pela qual, o policiamento ao chegar no local visualizou as aves engaioladas e o proprietário não tinha autorização ambiental para manter ou comercializar essas espécies originárias da Caatinga. Foi cessado aquela prática no momento e o homem foi levado para os procedimentos legais na Delegacia de Polícia Civil. Além dos pássaros 14 gaiolas foram apreendidas.

Embora tenha diminuído o interesse de se manter pássaros em gaiolas nas residências, ainda é bastante comum encontrarmos espécies de aves da Chapada do Araripe sendo comercializadas. Tudo deve ser feito dentro da lei, e quando há documentos fiscais e de autorizações é mais uma fonte de renda para a economia local. Aqui no Sertão do Araripe, as cidades onde mais ocorrem crimes ambientais, segundo dados observados das ocorrências policiais enviadas à imprensa é Bodocó e Exu. Quando os agentes não encontram rinhas de galos, se deparam com a caça predatória.

Liberdade evita maus-tratos

Em muito casos, há maus-tratos por parte da ação humana com essas aves. Ninguém quer viver preso. E esse trabalho desenvolvido pelas nossas polícias é muito importante para a existência dessas espécies aqui na fauna Araripinense tão atingida pela poluição do pó de gesso.

Um ícone da música nordestina e brasileira Luiz Gonzaga trouxe um exemplo em uma de suas canções que ainda hoje serve de conscientização. A letra de 1950 relata o sofrimento do pássaro Assum Preto, na qual tem olhos furados para cantar melhor. Confira o sucesso do rei do baião:

Redação AF News / Fonte e Imagem: 9ª CIPM