Ao anunciar medidas contra novo coronavírus, Miguel Coelho pede calma à população

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, anunciou na manhã deste sábado (14), numa coletiva de imprensa em seu gabinete, uma série de medidas preventivas contra o novo coronavírus (Covid-19), que já foi declarado como pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Tais medidas serão publicadas em decreto municipal que entra em vigor a partir de amanhã (15). Acompanhado pela vice-prefeita Luska Portela, pela secretária de Saúde Magnilde Albuquerque e pelo superintendente do Hospital Universitário (HU), Ronald Mendes, Miguel também fez um apelo à população.

O que a gente reforça sempre é que precisa ter calma. Não adianta colocar o medo na frente, porque não vai resolver o problema. O nível de fatalidade do Covid-19 é muito inferior ao de outras doenças que o Brasil vem enfrentando há muitos anos. É óbvio que não se pode subestimar, mas também não se deve supervalorizar este momento que o país está passando”, destacou o prefeito.

O gestor destacou, de início, a instalação de um comitê de enfrentamento ao novo coronavírus, que será responsável por repassar informações sobre o assunto juntamente com a Secretaria de Saúde. Miguel adiantou que, ao menos por enquanto, Petrolina não tem nenhum caso suspeito ou confirmado do Covid-19.

O prefeito citou também o plano de contingenciamento elaborado pela pasta, voltado em princípio para profissionais de saúde responsáveis pelos primeiros atendimentos (quando surgirem). O município, segundo ele, já capacitou quase 340 destes profissionais, enquanto o HU mais 500 – somente para o protocolo do Covid-19. Miguel destacou que o treinamento será estendido a unidades de saúde e também a outros equipamentos públicos, a exemplo de escolas, creches e abrigos de idosos. Neste último, ele destacou que a atenção será redobrada pelo fato de pessoas da terceira idade estarem no grupo de risco da doença.

Viagens canceladas

Miguel adiantou que a prefeitura está cancelando viagens dos seus servidores para cidades onde há transmissão importada, local ou comunitária da doença. A mesma decisão foi tomada em relação a consultores de outros Estados que viriam a Petrolina. A partir de agora, esse trabalho acontecerá somente por videoconferência. O prefeito disse ainda ter notificado a Infraero e a Rodoviária de Petrolina para que façam o controle do fluxo de passageiros que chegam à cidade.

Miguel afirmou que haverá um isolamento de sete dias em um local fixo para pessoas oriundas de países estrangeiros. A medida é válida também a brasileiros que estiveram fora do país nas últimas semanas.

Protocolo

Todas as medidas do protocolo de enfrentamento do Covid-19 tomadas pela prefeitura são as seguintes:

– Criação do comitê de enfrentamento ao coronavírus

– Contratação de profissionais de saúde para atendimento a casos suspeitos ou a pacientes com Covid-19

– Convênio com o Hospital Universitário para criação de uma unidade exclusiva com leitos de UTI para pacientes com coronavírus

– Restrição de eventos com mais de 100 pessoas cuja autorização dependa da prefeitura

– Recomendação para outras instituições como universidades, faculdades e empresas adiarem eventos com público superior a 100 pessoas

– Cancelamento de inaugurações, atos públicos e eventos do município

– Quarentena de sete dias em um local fixo para pessoas oriundas de países estrangeiros. A medida é válida também a brasileiros que estiveram fora do País nas últimas semanas

– Realização de campanhas educativas para orientação à população sobre medidas de prevenção ao coronavírus

– Proibição de viagens de servidores municipais para fora do País e cidades onde já há transmissão comunitária, a exemplo de São Paulo e Rio de Janeiro

– Suspensão de férias dos servidores municipais de saúde

– Restrição de atendimento ao público nos prédios da Prefeitura de Petrolina, secretarias municipais e autarquias. Atendimentos essenciais serão liberados a critério de cada serviço municipal

– Acordo com o Exército para criação de uma hospital de campanha em Petrolina apenas numa situação de emergência, caso a transmissão do vírus se torne comunitária na região.

Fonte: Carlos Britto/Foto: Reprodução