A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta sexta-feira (12) a aprovação do medicamento sintético remdesivir contra a covid-19. A agência disse ainda que registrou de maneira definitiva a vacina de Oxford/Astrazeneca, que já vinha sendo disseminada pela Fiocruz e utilizada de maneira emergencial no Brasil.

Quem ficou responsável pelo anúncio nesta sexta (12) foi o gerente-geral de Medicamentos (GGMED/Anvisa), Gustavo Mendes. Ainda não foi anunciado, no entanto, quando e de que forma o remdesivir começaria a ser utilizado no país.

O remdesivir foi inicialmente desenvolvido para tratamento do ebola, mas acabou se mostrando promissor contra o novo coronavírus nas primeiras análises in vitro. Estudos mostram uma recuperação rápida de pacientes infectados, embora um deles tenha apresentado efeitos colaterais gastrointestinais.

Ressalta-se, porém, que, em novembro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou nota contraindicando o uso do medicamento devido à falta de resultados robustos em estudos clínicos. “Seu papel na prática clínica permanece incerto”, disse a OMS à época.

Willian Matos