Aliados de Dilma criam comitê contra pedido de impeachment

24/03/2016 15h48
Na manhã desta
quarta-feira (23), uma reunião na Câmara dos Deputados marcou a criação do
“Comitê Pró-Democracia”, criado por aliados de Dilma para tentar impedir o
impeachment.
Um grupo formado por
representantes de “movimentos sociais”, partidos políticos, servidores públicos
e entidades diversas que defendem o respeito à democracia e se posicionam
contra o processo de impeachment, alegando que não há fundamento legal que o
justifique.
Entre as entidades e
“coletivos” que compõem o comitê estão a União Nacional dos Estudantes (UNE),
Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Barão de Itararé (DF),
Comissão de Justiça e Paz (DF), Intervozes e Mídia Ninja; além de
representantes do Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Comunista do Brasil
(PCdoB), Partido Socialismo e Liberdade (PSol).
Parlamentares também
passaram na reunião para saudar o grupo, entre eles os deputados Chico Lopes
(PCdoB/CE), Jô Moraes (PCdoB/MG) e Luciana Santos (PCdoB/PE).
Outros parlamentares
enviaram representantes ao encontro, entre eles, Ivan Valente (PSol/SP), Chico
Alencar (PSol/RJ), Orlando Silva (PCdoB/SP), Margarida Salomão (PT/MG),
senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM).
Para Luciana Santos, a
construção do comitê é uma iniciativa louvável.
A parlamentar informou que
está em processo de mobilização para criação de uma “Frente Parlamentar Mista
em Defesa da Democracia” e disse contar com a participação do “Comitê” nos
debates e ações da Frente.
“Queremos caminhar junto
com este comitê, porque as vozes reunidas aqui expressam o pensamento de grande
parte da sociedade, que sabe que não existe fundamento jurídico para um
impeachment da presidenta Dilma”, disse acreditar.
O lançamento da Frente
está previsto para o próximo dia 30 de março.
Luciana Santos propôs que
o comitê se some à organização desta atividade.
Além do ato junto com a
frente, o comitê terá atividades próprias, a começar pelo seu próprio
lançamento na próxima segunda-feira (28), às 16h, com uma grande mobilização no
Congresso Nacional.

“É um comitê amplo, que
está aberto a receber todas aquelas pessoas que acreditam na democracia como um
bem inestimável do nosso povo, que merece ser cuidado e defendido. Vamos
conversar com os deputados e argumentar que nosso país precisa de estabilidade
política e respeito às instituições”, explicou Iago Montalvão, da diretoria da
UNE, que também faz parte da coordenação.

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro