Alexandre Frota: “A corrupção é pornô”

Por - 28/05/2016
Como foi o encontro com o
ministro da Educação, Mendonça Filho? Foi tranquilo e com seriedade. Eu,
brasileiro e patriota, tenho o dever de questionar, propor e alertar. Nós somos
as ruas. Fui a Brasília para dizer ao ministro que apoiamos o Temer, que ele
deve ter pulso firme. Não pode ser frouxo e deixar o Renan comandar.
Foi fácil conseguir a
audiência?
Sim. Eu já conhecia o ministro de manifestações na Paulista. Sempre
foi um ótimo deputado. Liguei duas vezes e agendei. O engraçado é que, quando o
ministro da Cultura foi jantar na casa da Paula Lavigne, ninguém achou
estranho.
O que você pediu? Pedi
apoio ao projeto Escola sem Partido, para que não haja mais ensino ideológico
partidário, marxista e de identidade de gênero nas escolas. Quero uma escola
sem doutrinação, sem que o comunismo seja implantado por professores petistas.
O PT quis fazer das salas de aula pequenos diretórios comunistas. Nossa
preocupação é com a qualidade de ensino. A educação no Brasil está no CTI.
Que propostas você
apresentou?
Foram doze itens – simplificação do sistema tributário, redução de
cargos comissionados, fim da CUT e do MST, entre outros. O ministro leu tudo
atentamente.

Quando você começou a se
preocupar com a educação e a cultura?
Desde que achei que era hora de falar e
gritar. Qualquer brasileiro se preocupa com essas questões. Não precisa ser
politizado para saber que está tudo ruim. Leia mais>>>