Aécio Neves se reúne com Temer para tratar de “agenda para o Brasil”

23/03/2016 13h18
Da Agência Brasil
O presidente nacional do
PSDB, senador Aécio Neves, disse nesta terça-feira (22) que se encontrou com o
vice-presidente da República e presidente do PMDB, Michel Temer, para uma
“conversa republicana” na qual foram avaliados os cenários à frente em relação
à economia e à crise política.
Relator do impeachment
recua sobre anexar delação de Delcídio Amaral
Cardozo diz que pretexto
para impeachment é ‘golpe’ e anuncia nova ação no STF
Renan: impeachment sem
caracterização de crime de responsabilidade é ‘outro nome’
Acossado pelo impeachment,
governo Dilma agora quer ajudar Estados
“Encontrei um
vice-presidente muito sereno e consciente do seu papel nesse instante. É muito
natural que presidentes de dois dos maiores partidos brasileiros conversem
sobretudo em um momento de crise como esse. Já fizemos isso no passado, fizemos
mais uma vez essa semana e é natural que façamos no futuro”, disse o líder
oposicionista. A assessoria do vice-presidente também confirma o encontro.
Aécio Neves defendeu que
as conversas se estendam a outras lideranças de partidos políticos para que
seja construída uma agenda para o país. Segundo ele, o PSDB não será um
beneficiário direto do impeachment da presidenta Dilma, mas está pronto a
“ajudar a construir uma agenda emergencial que implique na construção de
algumas reformas”. “Nós temos algumas contribuições a dar e, na minha
avaliação, a contribuição é essa: ajudar a construção e a viabilização de uma
agenda ousada para o Brasil”, disse.
O presidente do PSDB
também relatou que se reuniu com as lideranças do partido na Câmara dos
Deputados e com os representantes da oposição na comissão do impeachment.
Segundo ele, o cenário traçado é de que o impedimento da presidenta deverá
ocorrer em breve.
“Tivemos uma reunião agora
com as lideranças do PSDB e nossos membros na comissão, há realmente uma
expectativa hoje de que muito rapidamente a Câmara estará aprovando o processo
de impeachment da presidente da República. E o sentimento que nós colhemos no
Senado é que, aprovado na Câmara com dois terços dos votos, é quase que
impossível que o Senado impeça a continuidade desse processo, sempre respeitado
o direito à ampla defesa da presidente da República”, disse.

Aécio Neves se reuniu
ainda com o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros
(PMDB-AL), também para tratar do impeachment.

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro