O ex-governador do Ceará, Adauto Bezerra, de 94 anos, morreu na madrugada deste sábado (3). O velório ocorrerá no Cemitério Parque da Paz, em Fortaleza. O político completaria 95 anos no próximo 3 de junho.

Segundo o ex-prefeito de Juazeiro do Norte e ex-deputado federal, Arnon Bezerra, sobrinho de Adauto, ele foi internado com Covid-19 há cerca de uma semana, no Hospital Monte Klinikum, na Capital. 

Em março de 2020, o militar, empresário e ex-vice-governador do Ceará, Francisco Humberto Bezerra, irmão gêmeo de Adauto Bezerra, morreu por complicações após uma cirurgia.  

“O que nos conforta, neste momento, é que ele teve uma história política de sucesso. Foi uma pessoa admirável e importante para a transformação do nosso Estado, ao lado de Virgílio Távora, César Cals, Gonzaga Mota e tantos outros que promoveram mudanças no Ceará”, disse Arnon. 

O governador Camilo Santana (PT) também lamentou a perda e decretou luto oficial de três dias no Estado. “Recebi com muito pesar a notícia da morte do ex-governador do Ceará, Adauto Bezerra”, disse.

“Meus sentimentos a todos os familiares, amigos e admiradores do ex-governador. Fica decretado luto oficial de três dias no Estado”, finalizou. 

Adauto Bezerra era natural de Juazeiro do Norte, no Cariri cearense. Ele foi deputado estadual por três mandatos, de 1959 a 1975, até se tornar governador do Ceará, durante o regime militar (1975 e 1978), indicado pelo então presidente Ernesto Geisel.

Em 1985, foi derrotado nas urnas para o cargo de chefe do executivo estadual por Tasso Jereissati (PMDB). Cinco anos depois, assumiu o comando da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), em 1990. 

Após a trajetória política, tornou-se banqueiro no Banco Industrial e Comercial S.A. (Bicbanco), ao lado do irmão Humberto Bezerra. 

Diário do NE