A DISPUTA EM ARARIPINA VAI SER POLARIZADA OU REALMENTE SERÃO HOMOLOGADAS QUATROS CANDIDATURAS?

19/07/2016 23h09
O prazo que antecede as
convenções partidárias que se estende do dia 20 de julho e vai até o dia 05 de
agosto, tem sido a bandeja para os especuladores na cidade – e, principalmente,
para os portais noticiosos.
Primeiro se especulou que o
ex-prefeito e ex-deputado Bringel havia recebido uma proposta irrecusável para
se aliar novamente, ou voltar como queiram, ao grupo do prefeito, compondo uma
chapa que incluiria o seu filho Bringel Filho na majoritária com Tião do Gesso.
Bringel desmentiu e até agora provou que será fiel ao pré-candidato Raimundo
Pimentel.
Depois veio a história do
FRENTÃO, em que os três pré-candidatos da base de partidos aliados da Frente
Popular, que apoiou Paulo Câmara para governador em 2014 foram convidados para
articular com o Secretário da Casa Civil – Antônio Figueira, uma possível união
para derrotar o ainda pré-candidato da Oposição Pimentel. Por enquanto os três
seguem firmes na corrida para tentar homologar suas candidaturas solos no prazo
permitido por lei.
Outra nova conversa vira
debate em todos os pontos de aglomerações da cidade e agora a bola da vez é o
ex-prefeito Lula Sampaio. Sampaio decidiu se engajar na pré-campanha do
pré-candidato a prefeito Valmir Filho (PMDB) e declarou o seu apoio
publicamente. A estratégia também incluiu nas decisões da “família e de amigos”
promover a pré-candidatura de Camila Sampaio para uma disputa ao legislativo
municipal. O que Sampaio não contava era que o presidente do partido ao qual
sua filha está filiada, se acomodaria novamente no grupo do prefeito – e, não
preciso contar a história do PHS em Araripina, nem para me alongar, e também
porque não nos interessa. Sampaio por enquanto continua com Filho.
A próxima tacada que sempre
associa os conchavos e os acordos com o nome encabeçado pelo pré-candidato Tião
do Gesso (que seria naturalmente indicação do prefeito Alexandre Arraes), é que
o Partido Progressista não dará a legenda para o pré-candidato Aluízio Coelho
registrar sua candidatura e que assim selaria um negocião para que Coelho se
contentasse com uma vice na chapa majoritária com Tião. Coelho disse que não
abre nem para o trem e vai ser sim candidato. As más-línguas dizem que tudo
ainda pode estar encaminhado nesse enlace e os comentários rolam soltos em
torno de um calçamento providencial que está sendo concluído ali no Canal São
Pedro (ver fotos), e que o beneficiário direto é Zé Torres do CREDTORRES,
pré-candidato a vice na Chapa com Aluízio. Seguindo o raciocínio das oitivas,
muita gente acredita que aqueles que abandonaram o barco do prefeito como, Tico
de Roberto, Silvano do Morais, Walmir Bezerra, continuam ligados à gestão
municipal.
De repente estamos aqui
também seguindo as diversas sondagens das rodas de bate papo político, e outra
história surge de que Valmir Filho irá desistir para ser vice de Tião do Gesso.
As promessas de que isso poderia muito bem acontecer seria a prova de que as
pesquisas internas sempre indicam Filho em um patamar abaixo do esperado e que,
o governo do Estado estaria monitorando todas as estatísticas para bater o
martelo, já que na capital o mentor principal do PMDB em Pernambuco – Jarbas
Vasconcelos, também declarou apoio ao candidato Geraldo Júlio (PSB), e isso
pode acender uma luz vermelha nas decisões das alianças em Araripina.
Mas antes que cheguem as
convenções que terminam no dia 05 de agosto, a última e quente notícia também
se espalhou e sempre coloca o nome de Tião do Gesso, pré-candidato a prefeito
pelo Solidariedade como protagonista da história ou estória. Roberta Arraes,
atual Assessora Especial do Governo na Região do Araripe, suplente de deputado,
faria o par, talvez muito desejado pelos militantes “laranjas”, com Tião. Seria
o par perfeito se a relação civil de parentesco e o efeito na inelegibilidade
não tivessem restrições.
Trata-se de situações onde o
cidadão, mesmo sendo elegível, não poderá concorrer a eleições, ou seja,
preenche todos os requisitos de elegibilidade, mas incide em algum ato tipificado
no art. 14, §§ 5º ao 8º da CF.
 
Art. 14. (…)
§ 7º. São inelegíveis, no
território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou
afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de
Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem
os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já
titular de mandato eletivo e candidato à reeleição.
O § 7º do artigo 14 da
Constituição torna parentes dos chefes do executivo inelegíveis para
concorrerem a eleições na mesma jurisdição
Faltando pouco mais de 15
dias para as decisões que comporão as chapas majoritárias, os falatórios, as
conversas que sempre mesclam os partidários em um pluralismo democrático, que
também sai do tom, as divergências, as convergências que atraíram os adeptos
para discutir as pré-campanhas, agora tomam forma para um novo ciclo que
começa, esse ciclo, agora decisivo e que, provará quem realmente tomará a
decisão final de colocar o nome para aprovação popular. O dia “D” ainda não é
dia 05 de agosto quando se encerram as convenções partidárias, mas dia 15 de
agosto, quando realmente, o pré-candidato sai de uma incerteza para uma
certeza.
Me permitam acrescentar: com
três palanques formados em Araripina, o governador tem uma boa desculpa para
não aparecer por aqui, para não se deparar com uma cidade destruída por uma
gestão do seu partido. A não ser que ele nem vislumbre um olhar periférico para
2018, ou que compactue com a situação.
E vamos em frente, desejando
muita sorte para a nossa amada e abandonada Araripina.

Fotos calçamento Canal São
Pedro
Por Everaldo Paixão – Blog do Paixão 

Sobre o Autor

Allyne Ribeiro